Equador: Terra de experiências de Chocolate

O chocolate do Equador é considerado um dos melhores do mundo. Os fabricantes de chocolate do país ganharam reconhecimentos crescentes ao longo dos últimos anos, com suas barras, premiadas por seus sabores e aromas surpreendentes. E, ao que parece, a origem da planta do cacau não é o México, como normalmente se pensava. É, de fato, a Amazônia equatoriana. Agora os viajantes podem chegar mais perto da fonte favorita de deleite do mundo, com experiências em chocolate nos três dos quatro mundos do Equador.

 

"O Equador: Terra do Chocolate" é uma nova iniciativa liderada pelo Ministério de Turismo do país para promover as emocionantes experiências que encontrarão os visitantes nesta pequena, mas incrivelmente biodiversa nação da América do Sul. "O turismo do Chocolate tem o agroturismo em seu coração, beneficiando comunidades rurais e, ao mesmo tempo, permitindo que os turistas explorem mais o país, experimentando sua herança culinária, belezas naturais e oportunidades de aventura", explica Dominic Hamilton, Vice-Ministro de Promoção do Turismo do Equador. "Queremos associar o país com um produto gourmet que já está posicionado no cenário internacional, criando um ciclo virtuoso entre o consumidor e o turista. As pessoas que provaram chocolate enquanto estavam no Equador, voltarão a suas casas melhores consumidores de produtos equatorianos, e os chocólatras vão associar suas barras favoritas com nosso destino."

 

Você não tem que ser um apreciador de chocolate para desfrutar das melhores barras do mundo. Os viajantes podem visitar lojas de chocolate e empórios - incluindo um localizado no interior do Monumento Equatorial, no norte da capital, Quito - onde os assistentes podem ajudá-los a escolher seu chocolate favorito (chocolate escuro de origem única e barras com sabor de frutas tropicais ou "super leaves" da Amazônia são as mais populares). Também podem se inscrever para uma sessão de degustação de chocolate (como se fosse uma sessão de degustação de vinhos, mas sem ressaca) com um fabricante-especialista, tal como Pacari, vencedor de inúmeros Prêmios Mundiais de Chocolate. Outra opção é desfrutar de um jantar temático inteiramente baseado na vagem do cacau e todos seus componentes, combinado com vinhos perfeitos; ou até se cobrir com chocolate quente durante um tratamento de spa.

 

"A Terra do Chocolate" é também sobre encontros nos mundos rurais do Equador. Cacaueiros crescem em climas tropicais em ambos os lados da Cordilheira dos Andes: nas planícies costeiras do Pacífico e no meio das árvores altas da floresta amazônica. Ambos são lugares fascinantes para descobrir mais sobre esta árvore e seu fruto, cujo nome em latim significa "alimento dos deuses", Theobroma.

 

Dentro de apenas algumas horas das duas principais cidades do país, Quito e Guayaquil, os visitantes são imersos em estilos de vida rurais como caminhar entre plantações de árvores de cacau, aprender sobre o processo de crescimento, fermentação, secagem, e até mesmo a tentar fazer alguns chocolates caseiros artesanais. No caso da Amazônia, várias das fazendas de chocolate são dirigidas por comunidades indígenas e cooperativas de mulheres, que também combinam sua agricultura com o turismo, proporcionando ao visitante uma melhor compreensão de de suas terras desafiantes.

 

O Ministério do Turismo tem trabalhado conjuntamente com o mundo do chocolate e das viagens ao longo dos últimos meses. Na WTM, vinte e quatro operadoras turísticas, operadores de cruzeiros das Galápagos e fornecedores de hospedagem estarão oferecendo produtos que incluem chocolate -uma excursão completa a uma fazenda cacaueira ou simplesmente uma degustação, por exemplo. Estes incluem os Caminhos de Ferro do Equador (Tren Ecuador), que oferecem experiências de chocolate em dois de seus produtos: a nova rota costa-Andes (rota Duran-Bucay-Alausí), e uma viagem  de quatro dias a bordo do premiado trem de luxo, Tren Crucero. 

Share this post

Submit to DiggSubmit to FacebookSubmit to Google PlusSubmit to StumbleuponSubmit to TechnoratiSubmit to TwitterSubmit to LinkedIn