Equilíbrio é o termo que engloba as principais características do turismo sustentável. Em nível mundial este segmento de turismo está no auge, devido às fortes pressões que as atividades humanas, como o turismo, exercem sobre os ecossistemas e as comunidades. O Equador, ao ser um país que alberga maravilhosas riquezas biológicas e culturais, possui várias opções de turismo sustentável em seu território.

 

Em setembro de 2015 se realizou a cerimônia de entrega dos World Travel Awards 2015 (WTA) em Bogotá, Colômbia. Em relação a destinos, Quito foi eleito como o Destino Líder da América do Sul e o Finch Bay Eco Hotel nas Galápagos como Destino Verde Líder da América do Sul. Em relação a hotéis, Mashpi Lodge, situado na floresta nublada do Noroeste de Pichincha, foi premiado como o Melhor Hotel Verde do Equador, segundo o portal web dos WTA 2015.

 

Sustentabilidade

 

Segundo a Organização Mundial de Turismo (OMT),os princípios de sustentabilidade se referem a aspectos ambientais,econômicos e socioculturais do desenvolvimento turístico, devendo-se estabelecer um equilíbrio adequado entre essas três dimensões para garantir sua sustentabilidade em longo prazo”, indica o portal web da OMT.

 

Em relação ao primeiro aspecto, diz-se que o turismo sustentável deve “dar um ótimo uso aos recursos ambientais, que são um elemento fundamental do desenvolvimento turístico, mantendo os processos ecológicos essenciais e ajudando a conservar os recursos naturais e a diversidade biológica”, destaca o mesmo portal.

 

O segundo tema é “respeitar a autenticidade sociocultural das comunidades anfitriãs, conservar seus ativos culturais e arquitetônicos e seus valores tradicionais e contribuir ao entendimento e à tolerância intercultural”.

 

Finalmente, o terceiro é “assegurar umas atividades econômicas viáveis em longo prazo, que propiciem a todos os agentes benefícios socioeconômicos bem distribuídos, entre os quais estão empregos estáveis e obtenção de rendimentos e serviços sociais para as comunidades anfitriãs que contribuam à redução da pobreza”, indica o portal da OMT.

 

Um ponto fundamental é que o turismo sustentável “deve dar também um alto grau de satisfação aos turistas e representar-lhes uma experiência significativa, que os torne mais conscientes da sustentabilidade e fomente práticas turísticas sustentáveis”, de acordo com a OMT.

 

Turismo Sustentável no Equador

 

Napo Wildlife Center – Parque Nacional Yasuní

Está considerado como o eco lodge mais luxuoso da Amazônia do Equador. O Napo Wildlife Center (NWC) se situa na lagoa Añangucocha, na reserva indígena do povo Kichwa Añangu, proprietário de 21.000 hectares de floresta chuvosa amazônica. Está situado dentro do Parque Nacional Yasuní.

 

Desde El Coca, Orellana, viaja-se em uma canoa motorizada durante duas horas pelo Rio Napo, até chegar à entrada do canal de águas negras da comunidade Añangu, lugar onde os passageiros mudam para uma canoa a remos. Há várias atividades para realizar durante a estadia.

 

O Napo Wildlife Center é um bom exemplo de projeto de turismo sustentável devido a que a comunidade Kichwa de Añangu é proprietária e gestora do luxuoso hotel, tornando-o um projeto socialmente sustentável,visto que se beneficia dos lucros gerados pelo seu funcionamento.

 

A comunidade investiu em um exclusivo sistema, provavelmente o melhor e mais avançado da Amazônia equatoriana: todas as águas residuais são processadas biologicamente para manter os pântanos limpos. Por outro lado, a energia é gerada por painéis solares, baterias industriais e geradores silenciosos, que compõem um sistema eficiente com um mínimo impacto ambiental, de acordo com o portal web do Lodge.

 

Mashpi Lodge - Pichincha

No noroeste do Distrito Metropolitano de Quito se encontra Mashpi Lodge, situado em meio das florestas nubladas do Chocó-Darién, as quais estão consideradas como “hot spots”: lugares onde existe uma alta concentração de biodiversidade de fauna e flora. Aí vivem ursos-de-óculos, jaguatiricas, antas, pumas, colibris, tucanos, corujas e outras 450 espécies de aves, entre as principais. Em relação à flora, observam-se muitas plantas epífitas, tais como orquídeas e bromélias.

 

Mashpi Lodge é um lugar onde a comodidade e a conservação da natureza se entrelaçam.  “Mashpi é mais do que um hotel cinco estrelas na metade de uma fantástica floresta: foi concebido e planejado para oferecer uma experiência de viagem única em sua classe, onde os elementos materiais são o complemento perfeito para desfrutar de um inigualável contato muito próximo com a fauna, flora, geologia, geografia, ecologia, climas, paisagens e características históricas deste extraordinariamente biodiverso rincão do mundo, agora protegido como Reserva Natural”, descreve o website do estabelecimento.

 

Kapawi Lodge – Pastaza

 

Perto da fronteira entre o Equador e o Peru se situa o Kapawi Ecolodge. A uma curta distância está a confluência do rio Pastaza e Capahuari (afluente menor do Amazonas no Peru). Está no meio de quase dois milhões de hectares de território do povo Achuar. O acesso ao hotel se realiza por via aérea desde Shell, Pastaza.

 

Esta zona da Amazônia é muito remota e afastada de centros povoados. É uma área bem conservada da bacia ocidental do rio Amazonas, visto que está isolada do desmatamento e da extração de recursos naturais não renováveis.



Para chegar ao hotel desde Quito, deve-se ir por via terrestre, até Shell, Pastaza. Depois se realiza o translado por via aérea até a comunidade de Kapawi. Para chegar ao hotel se deve viajar em uma canoa durante 30 minutos.

 

O hotel possui um sistema de energia solar através de painéis. Complementa-se com um gerador elétrico de apoio. Todas as habitações tem lâmpadas que economizam energia. O hotel provê sabonete e xampu biodegradável nos banheiros e duchas.

 

Para a disposição de dejetos sólidos, o Kapawi possui contêineres para reciclar material biodegradável, papel e também dejetos não biodegradáveis, tais como metais, plástico y vidros. Recomenda-se não deixar no hotel os dejetos não biodegradáveis, prestando especial atenção às pilhas ou baterias de equipamentos audiovisuais que já não servem, segundo indica a página web do hotel.

 

O Kapawi possui cabanas construídas com palha e madeira de proveniência sustentável. São habitações amplas e bem ventiladas. Cada uma tem banheiro privado, dormitório, água quente (quando o bom clima o permite) e mosquiteiros.  

Share this post

Submit to DiggSubmit to FacebookSubmit to Google PlusSubmit to StumbleuponSubmit to TechnoratiSubmit to TwitterSubmit to LinkedIn